26 de julho de 2021 às 22:11
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Malala deixa o Paquistão após visita emocionante ao país


Publicado em: 02/04/2018 7:02
Por:


Vencedora do Nobel da Paz chegou ao país, mais de cinco anos depois de ter sido ferida em um atentado talibã.

A vencedora do Nobel da Paz Malala Yousafzai deixou nesta segunda-feira (2) o Paquistão, após uma visita surpresa de quatro dias repleta de emoção. Ela retornou para o Reino Unido, onde mora há cinco anos com sua família.

“Malala Yousafzai e sua família partiram de Islamabad para retornar a sua casa”, afirmou o governo paquistanês.

Malala chegou ao Paquistão na quinta-feira, mais de cinco anos depois de ter sido ferida em um atentado talibã.

Com apenas 11 anos, Malala tinha um blog no site da BBC em urdu, a língua nacional do Paquistão, no qual escrevia com o pseudônimo Gul Makai e descrevia o pânico que dominava o vale de Swat sob o domínio dos extremistas.

Os talibãs, expulsos do vale pelo exército em 2009, acusaram Malala de veicular “propaganda ocidental” e decidiram matar a jovem.

A adolescente ficou gravemente ferida e foi atendida em um hospital militar local antes de transportada para Birmingham, no Reino Unido. Atualmente estuda Economia, Filosofia e Ciências Políticas na Universidade de Oxford.

Com o tempo, Malala se tornou um símbolo mundial da luta contra o extremismo e pelo direito das mulheres à educação, o que rendeu o Prêmio Nobel da Paz em 2014, ao lado do indiano Kailash Satyarthi.

“Estes cinco anos sempre sonhei em poder voltar a meu país”, disse pouco depois de desembarcar em Islamabad na quinta-feira (29).

No sábado, Malala fez uma rápida visita ao vale de Swat, onde nasceu e onde os talibãs executaram o ataque. “Eu deixei Swat com os olhos fechados e agora eu retorno com os olhos abertos”, afirmou.

As autoridades paquistanesas, acusadas de não combater com afinco as raízes do extremismo, mencionam a região de Swat como exemplo do sucesso da luta do governo contra os talibãs e grupos ligados à Al-Qaeda. Recentemente a região foi declarada suficientemente segura para sua reabertura ao turismo.

Comentários