9 de maio de 2021 às 08:36
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Startup cria aluguel de imóveis sem fiança nem seguro e tira imobiliárias do jogo


Publicado em: 17/03/2018 10:19
Por: Da Redação


Formados num MBA em Stanford, a startup Quinto Andar foi criada pelos brasileiros Gabriel Braga e André Penha, com objetivo de desburocratizar o aluguel de imóveis.

Para conseguir um apartamento no Rio de Janeiro, Vicente Velazquez pagou oito meses de aluguel de uma tacada só. Foi o único jeito que encontrou para fechar o contrato, já que ele não conhecia ninguém na cidade disposto a colocar seu próprio imóvel como fiança.

Histórias como essa motivaram Andre Penha e Gabriel Braga, formados num MBA em Stanford, a criar a empresa de tecnologia Quinto Andar, que está inovando no mercado imobiliário voltado para locações.

A startup encontra os locatários, age como uma garantidora (para quem comprovar um histórico de crédito confiável) e elimina intermediários, mais especificamente, as imobiliárias. Faz também algumas funções do proprietário, como consertar uma pia quebrada, o que faz com que os donos dos imóveis gastem menos tempo e dinheiro durante todo o processo.

“A Quinto Andar vai ser [para o mercado imobiliário] a mesma coisa que o Uber foi para os táxis”, diz Velazquez, 31 anos, um cientista que pretende utilizar o serviço da próxima vez que for alugar um apartamento. “Eu me nego a voltar para um corretor”.

Não quer a Quinto Andar não tenha também corretores. Está, inclusive, contratando profissionais da área em São Paulo, deixando claro que, sem ter que se preocupar com toda a parte burocrática da locação, eles poderão concentrar  “seus talentos em proporcionar uma excelente experiência aos clientes durante a visita ao imóvel, deixando-os confortáveis para tomarem uma decisão importante.”

“É uma verdadeira dor de cabeça para as pessoas, e um mercado de R$ 200 bilhões”, conta Braga, de 36 anos, em uma entrevista na sede da Quinto Andar, em São Paulo. “Se nós conseguirmos resolver este problema, as consequências serão gigantescas”.

Comentários