quarta-feira, 24 julho, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Olívia vai apresentar ofício à SSP cobrando explicações sobre caso

Parlamentar ainda reforçou o pedido do uso de câmeras no fardamento dos policiais militares

Após denunciar a abordagem policial no Vale das Pedrinhas, a deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) considerou a ação ‘truculenta’ dos agentes de segurança pública como “inadequada”. Em conversa com o Portal A TARDE nesta quarta-feira, 1, a comunista afirmou que apresentará um ofício à corporação para cobrar providências sobre o caso e agilidade na instalação das câmeras corporais nos fardamentos policiais.

“[…]. O centro da questão que eu trago é essa abordagem errada, é inadequada. O policial não pode abordar as pessoas dessa maneira, com uma linguagem carregada de palavrões, com os fuzis engatilhados parecendo que estavam em uma guerra. Nós estávamos nos dirigindo a uma igreja em São Caetano e passamos pelo Vale das Pedrinhas que é um lugar que eu sempre passo”, disse a parlamentar sobre o caso denunciado nas redes sociais.

“[…]. Estou me dirigindo formalmente, por ofício, para que fique registrado não só o fato, mas também o pleito, a reivindicação da adoção das câmeras nos fardamentos dos policiais. Eu não quero ser tratada de maneira diferenciada porque eu sou deputada. Eu vi a mudança da abordagem quando o policial descobriu que eu sou deputada”, acrescentou.

Presente nas comemorações do Dia do Trabalhador, que acontece no Farol da Barra, em Salvador, a parlamentar ainda questionou a validade das abordagens policiais em comunidades periféricas.

“A gente vai deixar de andar nas comunidades por causa disso? Por causa de um carimbo de que são comunidades perigosas? Eu disse aos policiais e vou dizer aqui também, a maioria da população que mora no Vale das Pedrinhas, no Nordeste [de Amaralina] ou em qualquer bairro popular é gente decente, honesta e trabalhadora. Essa abordagem não se justifica”, enfatizou a comunista.

Indignada com a situação, a deputada aproveitou para fazer um apelo ao governador Jerônimo Rodrigues (PT) para evitar que o “clima de terror”, como se referiu ao momento deflagrado pelos policiais, não se repita com outros indivíduos. A comunista ainda voltou a questionar a falta de uso das bodycams

“Para evitar a guerra de narrativa, é fundamental que o governo da Bahia faça esse apelo. Nós precisamos das câmeras no fardamento policial. Não têm as câmeras faciais? Por que que não chegam as câmeras no fardamento policial? É o uso da tecnologia a favor da vida, da segurança, da cidadania e dos próprios policiais”, concluiu.

Foto: Diogo Nonato

Arquivos