20 de maio de 2022 às 20:32
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

PM tem primeira mulher especialista em Operações Fluviais


Publicado em: 14/04/2022 10:23
Por: Redação Bahia Municipios com Agências Foto: Divulgação


A tenente Samanta Gomes, da Cippa de Lençóis, enfrentou dois meses de treinamento com a Polícia Militar do Amazonas.

Foco, garra e determinação alinhados a poucas horas de sono e um trabalho importante da mente. Todos esses pontos podem referenciar a tenente Samanta Gomes, da Companhia de Independente de Polícia e Proteção Ambiental (Cippa) de Lençóis, que se tornou a primeira mulher da corporação baiana a concluir um curso de Operações Fluviais realizado pela Polícia Militar do Estado do Amazonas (PM-AM). A  formatura ocorreu em Manaus, da noite da terça-feira (12).

Enfrentando dois meses de treinamento intensivo, a oficial passou por noções de sobrevivência na selva, enfrentando horas de ensino sobre os patrulhamentos fluvial e aéreo, natação utilitária, mergulho, legislação ambiental, além de reforçar estratégias de combate ao crime organizado, gerenciamento de crises, noções de intervenção em ocorrências com artefatos explosivos, de policiamento montado, operações com cães e defesa pessoal.

Para a tenente, uma das maiores dificuldadesfoi conseguir enfrentar todas as fases usando o fardamento completo, mochila e armamento que, ao molhar, fica ainda mais pesado.

“O meio líquido promove um desgaste muito intenso, principalmente por conta da mobilidade que fica mais difícil com as roupas molhadas. E pelas aulas serem realizadas no ‘Encontro das águas’ dos rios Negro e Solimões, em alguns de seus afluentes e no Cueiras, onde as águas são bastante movimentadas, o desafio era muito maior”, disse.

As 580 horas também foram importantes para a habilitação em embarcações de estado no serviço público e no reforço nas técnicas de Atendimento Pré Hospitalar (APH) de combate e  controle avançado de hemorragias.

“Tenho oito anos de Polícia Militar e passar por essa formação sendo a única mulher de 23 formandos, pra mim, foi mais uma superação, ainda mais na Amazônia que era um lugar que já sonhava em conhecer. Começar uma nova etapa da minha vida desta forma não tem preço”, concluiu a oficial.

Comentários