5 de março de 2021 às 07:42
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Prates debate possível colapso com diretores de hospitais privados de Salvador


Publicado em: 23/02/2021 18:29
Por: Redação Bahia Municípios com Agências Foto : Divulgação


A segunda onda da pandemia em Salvador está preocupando a gestão municipal, que vê risco de colapso inclusive na rede particular, já que algumas grandes unidades de saúde já chegaram a 100% da ocupação de leitos de UTI para Covid-19.

Com foco nesse debate e em busca de soluções para um problema eminente, o secretário de Saúde do município, Leo Prates, se reuniu com gestpres de hospitais particulares da capital baiana.

“Uma nova cepa do vírus mais agressiva está circulando no município e isso está gerando uma enorme pressão na rede hospitalar pública e privada. O cenário é preocupante. Sei a dificuldade dos hospitais privados. Estamos no mesmo barco nessa dificuldade e vamos buscar soluções conjuntas para evitar o colapso do sistema de saúde em Salvador. Nosso objetivo é salvar a vida das pessoas”, afirmou Prates.

Leo Prates também anunciou que a Secretaria Municipal da Saúde irá publicar uma recomendação para a suspensão das cirurgias eletivas na cidade para facilitar a alocação de uma maior estrutura de leitos voltados para o vírus nos hospitais particulares. A gestão municipal também solicitou que as instituições particulares encaminhem diariamente a taxa de ocupação dos leitos para que o COE – Centro de Operações Emergenciais da Covid-19 da SMS possa fazer o monitoramento da situação de cada unidade.

O presidente da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, Mauro Adan, agradeceu a iniciativa da reunião. “Quero agradecer pela escolha do diálogo, chamando os hospitais privados para explanar a situação que a cidade está enfrentando, e nos colocar à disposição para juntos colaborarmos com a saúde como um todo, seja ela pública ou privada. Nosso objetivo também é sairmos desse cenário da melhor forma possível”, afirmou Mauro Adan.

Comentários