14 de abril de 2021 às 16:47
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Prefeitura concede R$ 30 mil a projetos


Publicado em: 21/02/2018 11:03
Por: Da Redação


Seis projetos que incentivem o fortalecimento, a manutenção e dinamização do samba junino em Salvador receberão, cada um, aporte financeiro no valor de R$ 30 mil, concedido pela Prefeitura, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM). Os recursos serão transferidos através do edital Prêmio Samba Junino, lançado nesta terça-feira (20) pelo prefeito ACM Neto, no Espaço Cultural da Barroquinha, no Centro. O prêmio contempla formas de produção e reprodução, através da realização de ensaios, festivais, concursos, apresentações, “arrastões”, entre outras.

Conforme descrito no edital, serão priorizadas as propostas oriundas de grupos, federações, entidades e coletivos de samba junino, a serem realizadas nos bairros onde tradicionalmente já acontece a manifestação dessa expressão cultural, em conformidade com o Decreto 29.489/2018. O período de execução dos projetos, incluindo a fase de pré-produção, será entre 1º de junho e 31 de julho deste ano. As inscrições podem ser feitas a partir de segunda-feira (19) até 4 de abril, pelo endereço eletrônico www.premiosambajunino.salvador.ba.gov.br.

Surgido na década de 1970, o samba junino já é considerado Patrimônio Cultural de Salvador. O reconhecimento está registrado no Decreto 29.489/2018, publicado no Diário Oficial do Município (DOM) do último dia 8. “Não se encontra em nenhum outro lugar, a diversidade e riqueza cultural daqui. É algo que vem do gueto e que transcende os limites territoriais de Salvador, alcançando o mundo. Por isso, tenho levado a sério, nos últimos cinco anos, a reestruturação da política cultural”, afirmou ACM Neto.

Com essa ação, além de valorizar o trabalho dos músicos e grupos, a Fundação colabora com o reconhecimento e organização desse movimento cultural. O presidente da FGM, Fernando Guerreiro, avaliou que esta iniciativa homenageia uma produção cultural genuinamente soteropolitana. “Esse é um momento histórico por ser o primeiro registro de patrimônio cultural da cidade, e começamos pelo samba junino entendendo que esse é um movimento que acontece há muito tempo e precisa de apoio e organização. Esse é um dos movimentos mais importantes da cidade”, observou.

Conforme a Lei 8.550/2014, o Registro Especial Cultural é aplicado aos bens culturais de natureza imaterial, inclusive aqueles comumente designados como eventos, passíveis de verificação no plano material por suas práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas, modos de fazer e instrumentos, objetos, artefatos e lugares associados. O registro funciona para o patrimônio imaterial como o tombamento para o patrimônio físico.

Comentários