23 de outubro de 2021 às 11:28
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

PT foi pego de surpresa com decisão de Moro decretar a prisão de Lula


Publicado em: 06/04/2018 1:27
Por: ESTADÃO CONTEÚDO


Decisão do juiz Moro também surpreendeu a Policia Federal de Curitiba que se programava para prisão na próxima semana

A determinação do juiz Sérgio Moro em mandar prender o ex-presidente Lula da Silva para que se entregue na PF de Curitiba nesta sexta-feira, ás 17h, pegou o PT de calça-curta. O partido vinha planejando um ato para o momento da detenção do ex-presidente. A ideia era que o líder petista se entregasse diante de um grande número de simpatizantes. Agora, isso parece pouco provável dada a limitação do tempo.

O PT havia organizada uma vigília em São Bernardo do Campo, mas o início da manifestação foi marcado para ás 18h desta sexta-feira. O juiz Sergio Moro fixou prazo limite para uma hora mais cedo: Lula terá de se entregar à PF em Curitiba (PR) até as 17h.

Segundo o portal O Globo. com, seria no início dessa vigília que Lula falaria publicamente pela primeira vez sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que ontem à noite negou seu pedido de habeas corpus, que evitaria a prisão. Também estava previsto um ato suprapartidário na segunda-feira, em São Bernardo.

O PT tem sofrido, nos últimos dias, com problemas para mobilizar a sua militância. Há dúvida se será possivel fazer algum tipo de ato em menos de 24 horas.

Na noite de ontem, a cúpula do PT se reuniu na sede do Instituto Lula, no Ipiranga, Zona Sul de São Paulo. O encontro emergencial foi marcado após os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidirem, por seis votos a cinco, rejeitar habeas corpus que pretendia evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Participaram da reunião, além de Lula, a ex-presidente Dilma Rousseff, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o ex-prefeito de São Bernardo Luiz Marinho, o advogado Roberto Teixeira, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, o presidente da CUT, Vagner Freitas, entre outros.

Gleisi criticou a decisão do STF, afirmando que parte dos ministros impediram “que o Tribunal cumprisse o seu papel de guardião da Constituição, retirando do presidente Lula o direito que a Constituição lhe resguarda de presunção da inocência”.

*****

Segundo a colunista do Estadão, Andreza Matias, delegados da Polícia Federal em Curitiba disseram que foram surpreendidos pela decisão da Justiça de já determinar hoje a prisão do ex-presidente Lula. Pela manhã, a informação que receberam era a de que a decisão só seria tomada na semana que vem, após a análise do embargo do embargo pelo TRF-4.

Como antecipou a Coluna, Lula será preso numa sala de estado maior na superintendência da PF em Curitiba. O local não conta com essa estrutura, mas uma sala será adaptada.

 

Comentários