quarta-feira, 28 fevereiro, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Requalificação do Elevador Lacerda deve impactar rotina de 22 mil usuários

Serviço pode ser suspenso em algum momento, mas impacto deve ser reduzido, explica Fabrizzio Muller

A obra de requalificação do Elevador Lacerda deve impactar na vida dos 22 mil usuários que usam o meio de transporte todos os dias. A previsão é de que a reforma dure cerca de 10 meses e o objetivo é que o equipamento não fique sem funcionar por muito tempo neste período.

“A gente vai fazer o possível, junto com a Otis, que vai ser fazer a parte mecânica, com a empresa que vai fazer parte da obra civil, vai fazer uma articulação para que tenha o menor impacto possível na utilização do Elevador. Pode ser que, em algum momnto possa ter alguma suspensão, mas as pessoas serão avisadas para ter o menor impacto possível”, disse o secretário de Mobilidade (Semob), Fabrizzio Muller, nesta quarta-feira (13), durante a assinatura da ordem de serviço da obra.

Ainda segundo ele, caso seja necessário, os usuários poderão contar com o Plano Inclinado Gonçalves, ou com transporte alternativo. O Elevador sempre opera, minimamente, com duas cabines, e a previsão é que isso ocorra durante a obra.

O projeto de requalificação foi elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e será executado pela Superintendência de Obras Públicas do Salvador (Sucop). A obra prevê melhorias estruturais nos saguões que abrigam as quatro cabines dos elevadores, abrangendo desde implantação de sistema de climatização até nova pintura, iluminação, revestimentos das paredes e do piso, assim como soluções para otimizar o fluxo de passageiros.

O sistema de bilhetagem também deve ser modernizado e poderá aceitar novas formas de pagamento, como o saldo do Salvador Card e o Pix. A tarifa continuará a mesma: R$ 0,15.

Elevador Lacerda completou 150 anos. Crédito: Maysa Polcri/CORREIO

Arquivos