domingo, 19 maio, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Rodoviários e empresários se reúnem, mas negociações não avançam

Presidente do sindicato licenciado, Hélio Ferreira (PCdoB), não descarta possibilidade de greve geral da categoria

Os empresários e membros do Sindicato dos Rodoviários sentaram-se à mesa na manhã desta quinta-feira (2) para a primeira rodada de negociação dos interesses da categoria. O encontro, no entanto, terminou sem um acordo.

“Os empresários querem tirar o direito dos trabalhadores e querem aumentar a compensação de hora trabalhada por um ano e tirar a folga dos cobradores no fim de semana para reduzirem o salário”, revelou o presidente licenciado da categoria, vereador Hélio Ferreira (PCdoB) ao bahia.ba, após o encerramento do encontro.

Já o diretor de comunicação do Sindicato, Daniel Mota, afirmou que a retirada das folgas dos cobradores é uma forma de tencionar a categoria para retirar esses funcionários dos ônibus. “Eles também querem que a gente abra mão dos cinco pré-requisitos que temos aqui. […]. Eles também colocaram contrato parcial. Tudo para complicar as nossas vidas”, relatou ao site.

Os rodoviários se reúnem novamente com empresários na próxima quinta-feira (9), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), para uma nova tentativa de negociação entre as partes.

A categoria colocou em pauta a campanha salarial de 2024, assim como o fim do assédio moral da OTtrans. Os empresários, no entanto, seguem resistentes às reivindicações.

Questionado se há possibilidade de uma nova paralisação das garagens de ônibus, o sindicalista negou. Hélio Ferreira ainda afirmou que, caso os diálogos não avancem, há uma possibilidade de greve geral em todo o estado, devido às insatisfações de toda a categoria, não apenas em Salvador como também nos municípios baianos.

“Mas, vamos convidar os rodoviários de outros segmentos interestadual e intermunicipal para [caso as rodadas de negociações não avancem] deflagrarem uma greve geral no estado da Bahia. Porque as pautas deles também dialogam com a nossa”, contou ao site.

Em nota, o presidente do Sindicato, Fábio Primo, avaliou a “postura dos empresários como uma atitude desrespeitosa à classe rodoviária e com a cidade, por isso iremos manter a guarda alta para permanecer na luta e arrancar dos patrões os principais itens da pauta de reivindicações”.

Mobilização

O Sindicato dos Rodoviários já realizou duas mobilizações. A primeira foi realizada na Estação Lapa, impedindo a entrada e saída de veículos, na última segunda-feira (29). O ato pegou os passageiros de surpresa.

Na segunda mobilização, os rodoviários atrasaram a saída dos ônibus das garagens por 4h, na terça-feira (30). Ao menos, 11 bairros foram afetados com o protesto.

Foto: Assessoria Sindicato dos Rodoviários

Arquivos