quinta-feira, 20 junho, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Turistas de mais de 15 países prestigiam ‘União entre Povos’ no Pelourinho

Rússia, Argentina, França, África do Sul, Itália, Alemanha e Principado de Mônaco são alguns dos países representados no livro registro de visitantes da exposição coletiva ‘União entre os Povos’ da Brahma Kumaris (BK), em cartaz até a próxima quinta-feira (30), no Centro Cultural Solar Ferrão, na Rua Gregório de Mattos, no Pelourinho/Centro Histórico de Salvador (CHS). “Ainda temos registro de visitantes do Chile, Japão, Colômbia, Paraguai, Guiné Bissau e Estados Unidos da América, entre outros”, enfatiza a coordenadora da Diretoria de Museus (Dimus/Ipac), vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult).

Segundo ela, o fato do Solar Ferrão estar em uma das ruas mais visitadas do Pelourinho, auxilia o aumento das visitações das várias coleções de arte e das exposições na Galeria Ferrão. “O público aumenta principalmente em dias de grandes eventos, como o Fórum Social Mundial acontecido na última semana, ou na chegada de navios no Porto de Salvador, fazendo dobrar o triplicar a vinda de turistas. Estados brasileiros também estão responsáveis por parte das visitas.

“Visitantes de São Paulo, Rio de janeiro, Pernambuco, Minas Gerais, Espírito Santo, Piauí, Paraíba, Pará e Bahia também estão registrados no livro”, diz Fátima. No Pelourinho, a Dimus está responsável por cinco coleções de arte no Solar Ferrão e os museus Tempostal e Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, além do Palácio da Aclamação, no Campo Grande. Em Santo Amaro, pelo Museu do Recolhimento dos Humildes, e em Candeias, pelo Museu do Recôncavo. Confira mais detalhes no site do Ipac.

Dimus turistas
Foto: Geraldo Moniz/DimusIpac

Paz e direitos

Com entrada gratuita, de terça-feira a sábado, das 13 às 17h, a mostra ‘União entre os Povos’ no Ferrão traz uma temática para que cada pessoa reflita sobre a sua realidade e a sua participação para aceitação da diversidade sociocultural no mundo atual. “Cada vez mais precisamos do entendimento e da aceitação do outro em busca de uma convivência harmônica e solidária entre os povos”, ressalta a coordenadora da BK/Pituba e da exposição, Goreth Dunningham. “Adorei o tema que pensa e propõe a paz. Isso faz com que pensemos nos desafios e o quê cada um de nós pode fazer para contribuir para o bem maior”, afirma a turista Bárbara Alves, do Rio de Janeiro, durante a sua visita. “Trabalho numa ONG no Rio onde temos preocupação semelhante”.

Para Sheila Rodrigues, de Buenos Aires, Argentina, também presente na mostra, o tema também a mobilizou. “Temos que nos preparar para convivência tão diversa, inclusive pensando que os meus direitos terminam quando começam os de outros, que podem estar ao meu lado”. Já o casal Agnès e Tino Sanches, da região da Borgonha, no centro oeste da França, ficaram impressionados com a proposta da exposição. “Principalmente também, por incluir escrita em vários idiomas e ter obras interativas, onde o público pode participar”. A exposição utiliza ainda material reciclado alertando para a necessidade da consciência participativa em reciclar e preservar o meio ambiente.

Ambientes e interação

Os visitantes podem percorrer os vários ambientes das duas salas da Galeria Ferrão e interagir em cada uma com as instalações artísticas, entre elas, a ‘Árvore da Humanidade’, assinada por Ray Viana, ‘O Eco da Vida’, ‘A Cabana do Silêncio’, ‘Ser e Estar’ e ‘A Mesa da União’, entre outras. São vídeos, poesias, lembretes, papéis e dezenas de outros materiais e formatos de comunicação. O movimento Brahma Kumaris já foi difundido por mais de 110 países, com sede em Mount Abu, na Índia, escritórios em Londres (Reino Unido), Moscou (Rússia), Nairóbi (Quênia), Nova York (EUA) e Sidney (Autrália).

Arquivos