quinta-feira, 22 fevereiro, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Vistorias analisam aspectos técnicos de camarotes em Salvador

Visitas têm ênfase na segurança, prevenção e educação

As equipes de fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea) realizaram visitas à parte dos camarotes localizados ao longo da Avenida Oceânica, em Salvador, no circuito Barra do Carnaval. As vistorias devem continuar nos próximos dias, com ênfase na função preventiva e educativa dos encontros.

O fiscal do Crea, Marcelo Gomes, esclarece os segmentos operacionais da atuação do órgão nesse assunto. “A ação do Conselho tem por objetivo fiscalizar as atividades inerentes à área de engenharia. Com os camarotes, especificamente, nosso contato é em duas frentes: com o engenheiro responsável, e com o escritório da produtora. Também verificamos o nome dos responsáveis pelas diversas atividades técnicas”, explica.

As ações de monitoramento do Conselho nas festas de verão ocorrem em várias etapas, expõe Jonas Amorim, fiscal do Crea-Ba. “Na verdade, o trabalho vem desde dezembro, seguindo o calendário de festas tradicionais. E a fiscalização não é feita nas estruturas de uma vez só: a cada estágio da implementação, dos módulos no começo até a construção dos camarins no final, nós marcamos presença”.

As vistorias do Crea incluem a solicitação de Anotação de Responsabilidade Técnica (ARTs) e a apresentação de planos de segurança contra incêndios e demais emergências potenciais durante a festa. O Conselho garante ainda que a execução dos serviços seja realizada por profissionais habilitados na engenharia.

Para Jaylton Carlos do Rego Figueiredo, engenheiro civil e responsável técnico do Camarote.com, a própria história dos camarotes em Salvador é ligada ao Crea. “Trabalho com montagem de estruturas no Carnaval há 36 anos, e o Crea sempre foi um grande parceiro da festa, com orientações, auxílio e monitoramento, inclusive quando surgiram os primeiros camarotes, lá em 1997. Vimos com bastante clareza a importância da fiscalização do Crea junto aos profissionais, já que a montagem de estrutura tubular não tem fundação, os camarotes são apoiados no solo. Daí a importância de uma avaliação criteriosa”, relata.

Já Liane Baqueiro, gerente de produção do Camarote Club, também no circuito Barra, em Salvador, enfatiza a importância das ações preventivas. “Para evitar acidentes e intercorrências, quanto maior o foco na prevenção, melhor. O Carnaval de Salvador vem vivendo um momento de renovação, valorizando os clássicos, mas também se abrindo para o que vem de fora, e tudo isso tem uma grande dimensão e pede um trabalho conjunto”, observa.

Vistorias analisam aspectos técnicos de camarotes em Salvador Crédito: Divulgação

Arquivos