segunda-feira, 15 abril, 2024

EXPEDIENTE | CONTATO

Abertura dos trabalhos deixa o plenário lotado na Câmara Municipal

Legislativo retomou as atividades nesta sexta-feira (2)

O plenário da Câmara Municipal de Salvador ficou lotado para a reabertura dos trabalhos do Legislativo, nesta sexta-feira (2). Por conta do evento o movimento na Praça Municipal, no Centro Histórico, foi intenso e houve até fila para fazer o cadastro de acesso ao prédio. A casa tem 43 vereadores e foi fundada junto com a capital, em 1549. Durante o evento foram anunciadas duas novidades.

O presidente da Câmara, Carlos Muniz (PSDB), chegou por volta das 10h, cercado por outros vereadores e apoiadores. Ele prometeu empenho no trabalho, garantiu que a eleição, em outubro, não vai prejudicar o andamento do Legislativo e lembrou dos R$ 15,9 milhões que a Câmara devolveu à Prefeitura, em dezembro. É uma economia referente a uma parte do duodécimo, que é o repasse que as prefeituras fazem aos legislativos municipais. Foi o maior valor já devolvido na história de Salvador.

“Nós devolvemos R$ 16 milhões, foi uma devolução histórica. Esperamos que ela sirva para melhorar a vida do povo de Salvador, principalmente relacionado a educação e a saúde. Vamos intensificar o trabalho no início do ano para que os vereadores tenham uma folga de junho em diante para poder visitar suas comunidade. A campanha não vai atrapalhar os trabalhos legislativos”, afirmou.

Durante o discurso, ele foi aplaudido pelo plenário lotado. O prefeito Bruno Reis (União Brasil) destacou os feitos da gestão, como a construção de novas escolas, a reforma de equipamentos e o desenvolvimento e aplicação de políticas públicas indenitárias. Ele também listou os investimentos em diversas áreas e afirmou que o Legislativo teve papel importante nessas ações.

“Temos plenas condições de seguir em frente. E se fizemos tanto pegando o pior momento da pandemia, imagine agora que estamos no nosso melhor. Da minha parte continuarei honrando, com meu trabalho, a população que me honra com sua confiança. Seguirei mudando Salvador para a melhor, mas também querendo que uma coisa nunca mude, a alma dessa cidade feita de luta, liberdade e alegria”, disse Bruno.

Ele anunciou a construção de um teleférico que terá cinco quilômetros de extensão no Subúrbio Ferroviário. O equipamento ficará na região do Mané Dendê, no Rio Sena. Além disso, Bruno Reis marcou para a segunda-feira (5) o lançamento da licitação para a construção da Arena Multiuso climatizada. Ela será integrada ao Parque dos Ventos, na Boca do Rio, e ficará ao lado do Centro de Convenções Salvador.

O prefeito confirmou o vereador Kiki Bispo (União Brasil) como líder do governo na Câmara, cargo que ele já ocupa desde fevereiro do ano passado, e fez elogios a atuação do edil. Kiki, que chegou ao prédio junto com o gestor, agradeceu, disse que o diálogo entre o Executivo e o Legislativo é importante para o desenvolvimento da cidade e afirmou que Salvador ainda tem problemas que precisam ser superados.

“Ainda é uma cidade desigual, a pobreza é um problema, mas precisamos reconhecer também que Salvador cresce em todos os segmentos e isso é fruto de uma gestão que iniciou em 2013 e que de uma forma continuada tem sido aperfeiçoada pelo prefeito Bruno Reis. E quem diz isso são as pesquisas de opinião e os munícipes”, afirmou.

Ele recebeu os cumprimentos dos colegas e ocupou uma das cadeira do plenário lotado. O líder da Oposição, vereador Sílvio Humberto (PSB), explicou que os primeiros seis meses do ano terão demanda mais intensa, lembrou que esse é um ano eleitoral e disse que o diálogo com o Executivo nem sempre é fácil.

“O primeiro semestre terá uma dinâmica diferente do segundo semestre por conta da eleição, mas nós vamos fazendo os ajustes com muito equilíbrio, com muita temperança e com capacidade de diálogo, apesar de temos visões diferentes sobre a cidade e em alguns momentos termos até mesmo visões antagônicas”, disse.

A abertura dos trabalhos contou com a presença também da vice-prefeita, Ana Paula Matos, secretários e diretores, de eleitores e apoiadores dos gestores. A cerimônia foi encerrada por volta das 11h30.

Casa ficou lotada  Crédito: Gil Santos/ CORREIO

Arquivos