5 de agosto de 2021 às 06:02
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Menos de 10% das empresas baianas têm seguro empresarial


Publicado em: 25/04/2018 8:26
Por: Redação | com informações de Rayllanna Lima TB | Foto: Divulgação


Na análise do gerente da Porto Seguro na Bahia, Eduardo Scartezini, falta um pouco de conscientização por parte dos empresários.

O número de empresas que possuem seguro aumentou na Bahia nos últimos anos, mas ainda está aquém do esperado, assim como ocorre a nível. Apenas 10% das 9 milhões de empresas ativas no país têm seguro empresarial contratado, de acordo com Empresômetro – censo das empresas, entidades privadas e públicas em atividade no Brasil. Na Bahia, a porcentagem é ainda menor.

Na análise do gerente da Porto Seguro na Bahia, Eduardo Scartezini, falta um pouco de conscientização por parte dos empresários. Acontece que muitos empresários associam o valor do seguro empresarial ao de automóveis, considerados relativamente caros.

“O baixo número de empresas asseguradas está muito relacionada á falta de informação, por se achar que é caro demais. O seguro mais difundido no Brasil é o de automóvel. As pessoas logo pensam ‘poxa, se um veículo é esse valor, imagine a minha empresa’. Mas muitas vezes acabam se surpreendendo quando consultam um corretor de seguros”, afirmou em entrevista à Tribuna da Bahia.

De acordo com ele, enquanto um veículo cujo valor é R$ 50 mil e o seguro fica em torno de R$ 3,5 mil, uma empresa que tem edificação valorada em R$ 1 milhão, ao solicitar o seguro empresarial com cobertura básica, o valor do investimento será na faixa de R$ 600.

“Por isso recomendamos sempre que se consulte um corretor de seguros. Até para esclarecer o que o seguro cobre, que vai além de um incêndio na edificação. O seguro cobre inclusive se houver um incêndio de fora que venha a atingir seu patrimônio”, explicou.

Especialista na área, Eduard Scartezini chama a atenção de empresários que mantém sua empresa proteção. “É importante proteger o patrimônio ao qual se profere toda a renda daquele empresário. Sem empresa, ele, que depende daquela renda, tem problema sério, seja qual segmento que for”, declarou.

Crescimento

Apesar da falta de informação sobre aquisição do seguro empresarial e do pequeno número de assegurados, se comparado ao total de empresas baianas, a procura pelo seguro empresarial cresceu nos últimos anos.

“De uns tempos para cá, até pelo ressarcimento econômico, as pessoas estão se preocupando em manter aquilo que já conquistou. Não há uma média definida para o crescimento para a Bahia, mas não foi menos do que 5%”, disse.

Scartezini ainda salientou sobre os benefícios do seguro. “É importante lembrar que a continuidade da empresa depende muito de como ela pode se proteger. E o seguro empresarial também tem a cobertura para os bens e valores de clientes, dependendo da cobertura do ramo de atuação, como por exemplo um salão de beleza. A perda do ponto comercial. Tem uma séria de cobertura adicionais que apoiam o empresário”, concluiu.

Comentários